sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Setur lança programação da Semana Mundial do Turismo


Na próxima terça-feira (27) será comemorado o Dia Mundial do Turismo, em referência a uma das mais importantes atividades econômicas da atualidade, pertencente ao setor terciário. A data foi oficialmente estabelecida pela Organização Mundial do Turismo (OMT) no ano de 1980, logo após a implementação do seu estatuto. No Pará, a Secretaria de Estado de Turismo (Setur) preparou uma extensa programação para celebrar a Semana Mundial do Turismo, entre os dias 26 e 29 deste mês.

As comemorações iniciam com a cerimônia de batismo da aeronave Carlos Gomes, da companhia Azul Linhas Aéreas, na segunda-feira (26), às 12h30, no Aeroporto Internacional de Belém. A aeronave que vai receber o nome do famoso maestro, faz a rota Campinas-Belo Horizonte-Belém. A escolha se deu pelo fato que Carlos Gomes era natural de Campinas (SP) e passou seus últimos anos de vida em Belém, falecendo na capital paraense em 16 de setembro de 1896, portanto, 120 anos atrás.

A iniciativa conta também com a parceria da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), por meio da Fundação Carlos Gomes, Infraero, Prefeitura Municipal de Campinas e da Associação Brasileira das Agências de Viagem (ABAV-PA). A comitiva vinda da cidade paulista será recepcionada no aeroporto com apresentação do coral e de músicos do conservatório. Eles também farão uma visita à Fundação, onde será entregue pelas autoridades de Campinas uma placa em homenagem ao Maestro Carlos Gomes, seguida de visitação ao Museu de Arte de Belém (Mabe). O local abriga a tela que mostra os últimos dias do maestro na capital paraense.
Na terça-feira (27), a programação acontece no Cine Olympia, a partir das 18h30, com a realização do “Bate Papo Gastronômico: Da Floresta para a Mesa”, lançamento do Folheto Promocional da Gastronomia do Pará, exibição do filme “Belém 400 anos – A Influência Francesa na Capital Paraense” e mostra das exposições fotográficas #FériasPA e Expedição Pará.

O debate sobre a gastronomia paraense reunirá o jornalista Fernando Jares; o doutor em Turismo Álvaro do Espírito Santo, da Setur; Eduardo Leão, secretário-adjunto de Estado de Desenvolvimento, Mineração e Energia; Joanna Martins, do Instituto Paulo Martins; Rosane Oliveira, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-PA); e Lúcia Torres, boeira do Mercado do Ver-o-Peso.
O dia 28 está reservado para a solenidade de entrega do III Prêmio de Jornalismo em Turismo “Comendador Marques dos Reis”, que premiará os 25 vencedores nas categorias Jornalismo Impresso, Jornalismo On Line, Radiojornalismo, Telejornalismo, Fotojornalismo e #MeuBemPará. A cerimônia será às 18 horas, no Teatro Maria Sylvia Nunes.

A noite também terá como atração a presença de David Schurmann, que vai ministrar uma palestra com temática voltada ao turismo. Cineasta formado na Nova Zelândia, Schurmann iniciou sua carreira internacional aos 19 anos como diretor de programa de televisão daquele país, onde viveu por seis anos. Dirigiu filmes longa-metragens, séries para TV e filmes publicitários em mais de 40 países, conquistando prêmios no Brasil e no exterior. David é o CEO das empresas da Família Schurmann e responsável pelo planejamento e desenvolvimento da Expedição Oriente.

Acompanhado da atriz Mariana Goulart e do produtor João Roni, David fará uma projeção especial do filme “Pequeno Segredo”, no dia 29 de setembro, a partir das 18h30, no Cine Estação do Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas, fechando a programação da Semana Mundial do Turismo. O filme teve algumas cenas rodadas no Pará, com apoio institucional do governo do Estado, por meio Setur. A película foi indicada pelo Ministério da Cultura (MinC) como o representante do Brasil para tentar uma indicação ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.


Texto: Israel Pegado – Ascom Setur

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Visite o Pará no Círio

Foto: Fernando Sette - SETUR-PA
A imagem de Nossa Senhora Senhora de Nazaré foi encontrada pelo caboclo Plácido José de Souza, em 1700, às margens do Igarapé Murucutu, local que hoje se encontra a Basílica Santuário de Nazaré. A Basílica abriga o Museu do Círio, um espaço que guarda objetos de promessas inusitados, símbolos das romarias como a corda, os brinquedos de miriti e ainda mantêm um trabalho especial de preservação dos mantos usados pela imagem de Nossa Senhora de Nazaré.

Conta a história que a imagem estava às margens do Igarapé Murucutu quando foi achada pelo caboclo Plácido José de Souza, que a levou para sua humilde casa. No dia seguinte ela desapareceu. Plácido foi procurá-la e, adivinhe? Lá estava a santinha, no mesmo igarapé.

Este fato se repetiu várias vezes, até o caboclo compreender que o lugar dela era ali mesmo, às margens do igarapé. No local do achado, Plácido construiu uma pequena capela para abrigar a imagem, que em 1852, deixou de ser capela para ser construída a Basílica Santuário de Nazaré.

Em 1792, o Vaticano autorizou a realização de uma procissão em homenagem à Virgem de Nazaré, em Belém do Pará, sendo o primeiro Círio, realizado no ano seguinte. 
Foto: Site da Basílica Santuário de Nazaré

Nossa senhora de Nazaré é considerada a Padroeira do Pará e Rainha da Amazônia, e arrasta hoje mais de dois milhões de fieis em suas romarias, sendo o Círio, a procissão mais esperada no decorrer do ano, onde a Basílica Santuário de Nazaré é o local de partida e chegada para saudar, adorar e agradecer a Virgem de Nazaré. 

Venha para o Círio de Nazaré, no segundo domingo de outubro e conheça mais essa história.
Aproveite, chegue uma semana antes e conheça os principais atrativos turísticos de Belém

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Santarém revive a magia do Sairé


A bela vila de Alter-do-Chão já está em festa, com a programação especial do Sairé. Localizada a 30 km da sede municipal de Santarém, a vila é conhecida mundialmente por suas belas praias, em especial a Praia do Amor, é pelo duelo cultural entre os botos Tucuxi e Cor-de-Rosa.


O Sairé é uma festividade religiosa e folclórica, que segundo pesquisas, tem mais de 3 séculos de existência. O símbolo do Sairé é um semicírculo, de cipó torcido, envolvido por algodão, flores e fitas coloridas. No centro do semicírculo estão três cruzes e no topo dele uma outra, que juntas representam o mistério da Santíssima Trindade e no topo um só Deus. A imagem da pomba, que representa o Espírito Santo, também faz parte do adorno.


A festa, começa com o hasteamento de dois mastros enfeitados, seguido de ritual religioso e danças folclóricas desempenhadas pelos moradores da vila. No último dia, sempre uma segunda-feira, ocorrem a "varrição da festa", a derrubada dos mastros, o marabaixo, a quebra-macaxeira e a "cecuiara", espécie de almoço de confraternização.

E não para por aí, o confronto dos botos Tucuxi e Cor de Rosa também representa uma atração a parte durante o evento. Trata-se da encenação da lenda do golfinho de água doce que se transforma em um homem bonito, seduz e engravida as mulheres ribeirinhas. 

A abertura oficial do Sairé é neste sábado, dia 10 e segue até o dia 19 de setembro.
Santarém - Tapajós: é conhecida como a Pérola do Tapajós, Fica localizada na confluência dos rios Amazonas e Tapajós, foi fundada em 22 de julho 1661 pelos jesuítas, em uma expedição liderada pelo Padre João Felipe Bettendorff, recebendo o nome em homenagem à cidade portuguesa de Santarém.. é uma das cidades mais antigas da Amazônia, guardiã de rica cultura. Construções seculares, a cerâmica tapajônica original e as tradições musicais e folclóricas são algumas dessas riquezas, é a cidade do renomado violonista e compositor Sebastião Tapajós.

Santarém é berço do rico artesanato tapajônico, que segue as tradições culturais dos povos indígenas da região, os belos trabalhos em cerâmica são encontrados nas feirinhas de artesanato espalhadas pela orla da sede municipal, onde dividem a atenção com roupas e acessórios de fibras naturais, mas também nas vilas e comunidades santarenas A “Pérola do Tapajós”, como é conhecida, conta com mais de 100 quilômetros de praias de água doce, Na Vila de Alter-do- Chão, conhecida como o “Caribe Brasileiro”, a praia é deslumbrante embora apareça apenas no verão amazônico, durante o período de baixa das águas do rio Tapajós, quilômetros de faixas de areias brancas surgem formando belíssimas praias. O município de Santarém chega a formar 1.992 quilômetros de praias exóticas e primitivas que mais parecem mar. 
É em frente a cidade de Santarém que ocorre o espetáculo do encontro das águas dos rios Tapajós com Amazonas, que fluem lado a lado por vários quilômetros, sem misturar suas águas 

de cores e densidades diferentes. O melhor local para assistir este fenômeno é da orla da cidade,de preferência do alto do Mirante do Tapajós. 

É em Santarém que acontece uma das maiores manifestações culturais do Pará: o Sairé, inspirada nas tradições culturais europeias, principalmente de Portugal, é uma festa que mistura ritual religioso e folclórico com uma programação cultural que culmina com a disputa entre os botos Tucuxi e Cor de Rosa.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Círio de Nossa Senhora de Nazaré

Círio de Nazaré - Foto: Fernando Sette
Realizado em Belém há mais de dois séculos, o Círio de Nazaré é umas das maiores e mais belas procissões católicas do Brasil e do mundo. A devoção remonta ao início da colonização portuguesa. O termo Círio vem da palavra latina “cereus”, que significa vela ou tocha grande. Por ser a principal oferta dos fiéis nas procissões em Portugal, com o tempo, o termo passou a ser sinônimo da procissão de Nazaré aqui em Belém e de muitas outras pelas cidades do interior do Pará.


Vista aérea do Complexo Feliz Lusitânia
Foto: SECOM
Tradição - O Círio é hoje o principal evento de atração turística ao Pará e transcende o sentido religioso, ocupando lugar também de destaque nos ramos cultural e econômico, abrangendo todos os setores na cidade. Com 224 anos de tradição, o Círio de Nazaré faz parte do calendário nacional como uma das maiores festas religiosas do mundo.


A festa também é responsável pela difusão da culinária paraense, a mais original do Brasil, resultado de influências indígenas, africanas e portuguesas, que por sinal estão refletidas nas expressões da cultura do Pará. 

Pato no Tucupi - Foto: Walda Marques

As iguarias gastronômicas mais tradicionais têm a ver com a realização do Círio e o tradicional almoço depois da grande procissão. Maniçoba e pato no tucupi são os pratos principais do cardápio da reunião das famílias e o cheiro dos ingredientes toma conta de toda a cidade dias antes e durante toda a festa.


Turismo - Entre os mais de 2 milhões de romeiros que participam do Círio no domingo e que tomam conta das ruas de Belém, de acordo com dados do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos do Pará (Dieese) e da SETUR, mais de 80 mil são turistas oriundos de diversos países e outros estados do Brasil.

Maniçoba - Foto: João Ramid
O Círio em si, acontece apenas na manhã do segundo domingo de outubro, mas a programação oficial na verdade envolve 11 romarias com mais de 100km de percurso, se somadas, e uma grande maratona de visitas da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré em Belém e a outros estados que também realizam o Círio, como Rio de Janeiro e Minas Gerais, Amazonas e Amapá.


Venha para Belém e participe deste importante momento da cultura do Pará, a obra-prima da Amazônia.