quarta-feira, 22 de março de 2017




Do dia 15 a 18 de Abril o Pará receberá o Rallye Transamazone, uma turnê  de veleiros oriunda da França e de outras cidades europeias, na qual viaja pela Amazônia  e por parte da ilha do Marajó, por cidades ribeirinhas, sendo o município de Afuá o último local visitado. Os veleiros ficarão ancorados na frente da cidade para uma parada de 3 dias. Durante a estadia, serão oferecidos aos visitantes pacotes para que os mesmos conheçam o cotidiano dos ribeirinhos, além da participação em um baile de encontro com grupo da idade ativa do CRAs, que são realizadas no Centro da idade ativa do Tubarão situado na rua Theopompo Nery, s/n centro.


Para mais informações: (96) 3689-1181 / gabpma@gmail.com

quarta-feira, 15 de março de 2017

FARINHA DE BRAGANÇA, DELÍCIA CULINÁRIA DO PARÁ

Produção da Farinha / Foto: Google
A gastronomia paraense é conhecida por sua riqueza e seus característicos sabores. E um desses alimentos presentes na tradicional alimentação do paraense é a famosa “Farinha de Bragança”, presente na maioria dos isopores carregados na bagagem de quem sai do estado. Uma delícia!
Foto: Remanso do Bosque

A relação entre Bragança e a produção de farinha é tão remota quanto a origem do município, onde os índios da nação Tupinambá habitavam as margens do rio Caeté.
E, por ser degustada com tamanho apreço, parte da farinha feita pelos produtores mais antigos ainda em atividade é encomendada antecipadamente, uma vez que a demanda não consegue ser atendida de outra maneira devido à grande procura. As famílias Padilha e Santino são os principais nomes nesta tradição, torrando o produto no mesmo tacho de bronze, trazido da Europa, juntamente com os trilhos da extinta Estrada de Ferro de Bragança, há três gerações. Os Santino e os Padilha são vizinhos no Camutá, comunidade ribeirinha, vizinha da Vila-Que-Era (onde está o marco de fundação da cidade, pelo português Álvaro de Sousa), ambas localizadas à margem oposta à cidade, originada do outro lado - para onde, poucos anos após fundação, os moradores se mudaram para manter melhor comunicação com Belém, obtendo assim maiores recursos.
Os segredos da peculiaridade do sabor da farinha lavada

Há vários tipos de farinha: d’água, seca, de tapioca, com coco. Mas, quando o assunto é farinha de Bragança, a referência é a d’água, muito bem lavada. A lavagem da farinha é um dos principais segredos para obter o resultado que tanto encanta os apreciadores do produto, por isso a diferença entre a farinha d’água, a comum e a lavada. Fazendo que a mesma seja desejada e exportada de Bragança para outros municípios, e até para outros estados. 

quinta-feira, 9 de março de 2017

MULHERES DO PARÁ

Na semana do dia internacional da mulher, separamos algumas mulheres paraenses que reforçam a ideia de que; ‘Lugar de mulher é onde ela quiser!” Mulheres nas quais carregam o amor e o orgulho de ser do Pará, Parabéns à todas!

Atriz Dira Paes no Estádio Estadual Jornalista Edgar Augusto Proença/ Mangueirão
Foto: Antônio Cícero 
DIRA PAES nasceu no dia 30 de junho de 1969, no Pará. Em 2010, participou do remake de "Ti ti ti" e, no ano seguinte, engatou na polêmica personagem Celeste de "Fina estampa". Em 2012, participa da novela "Salve Jorge", interpretando a mãe da personagem de Nanda Costa, protagonista da trama. Apaixonada pela sétima arte, é idealizadora e diretora-executiva do Festival de Belém do Cinema Brasileiro. Uma grande curiosidade sobre sua carreira nos cinemas foi que estreou em uma produção norte-americana chamada "A floresta de esmeraldas" (1985). Dira tinha apenas 15 anos de idade. Coleciona mais de quinze filmes em seu currículo. Dira é casada com o fotógrafo Pablo Baião, com quem teve um filho, Inácio.


Cantora Lucinha Bastos- Foto: Google

LUCINHA BASTOS, cantora paraense, nasceu em Belém, e já Com sete anos de idade, subia ao palco para acompanhar seu pai, o músico Luciano Bastos da banda que hoje é chamada de Sayonara Show Band. Aos treze se apresentou no Teatro da Paz, depois de conquistar o titulo de melhor interprete em um festival. Foi chamada para participar do projeto Pixinguinha, ao lado de Miltinho, Ângela Maria e Geraldo Azevedo. Depois de seu primeiro compacto, gravou sucessivos álbuns, com mulher e eu sempre vou te amar, e acumulou trabalhos com grandes nomes, como Billy Blanco, Tetê Espíndola e Leila Pinheiro.Participou do Free Jazz Festival de 1990 ao lado do trompetista cubano Arturo Sandoval. Em 2004 celebrou 30 anos de carreira.


Cantora Gaby Amarantos
Foto: Site Notícia Gospel
GABY AMARANTOS,nasceu e cresceu na periferia de Belém,do Pará. Começou a cantar aos 15 anos de idade, em um coral da Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus.Em 2002, formou a banda Tecno Show que, misturando “riffs” acelerados de guitarra brega com beats eletrônicos, praticamente criou o estilo musical hoje conhecido como Tecnobrega. O sucesso de Gaby irradiou do Pará para outros lugares do norte e do nordeste e depois outras partes do país. Com a banda, Gaby gravou dois CDs e um DVD, e participou pela primeira vez no "Domingão do Faustão", com os grandes sucessos de 2003, “Gemendo” e “Não Vou te Deixar”. Após a gravidez de seu primeiro filho, em 2009, Gaby resolveu desbravar novos caminhos, dessa vez por conta própria. Em 2010, deu início a sua carreira solo, tendo como primeiro hit a música “Hoje eu tô Solteira”. Nessa nova fase, a paraense voltou ao programa do Faustão, já bem mais conhecida, e ganhou a alcunha de Beyoncé do norte. Em 2012, lançou seu primeiro álbum solo, “Treme”. Neste ano, o sucesso da Gaby Amarantos ultrapassou as fronteiras nacionais, quando ela foi indicada ao Grammy Latino e venceu em quatro das cinco categorias do MTV Music Awards. 
 Gaby Amarantos nas águas do Pará
Foto: Daniel Arantagy
Também teve conquistas no Prêmio Multishow, em que faturou na categoria novo Hit, por "Ex Mai Love", e na APCA (Associação Paulista dos Crítcos de Arte) em que foi escolhida como a melhor cantora de 2012 e entre as melhores do ano. Isso tudo após, em 2011, ser eleita pela revista "Época" como uma das 100 personalidades mais influentes do país.

Cantora Dona Onete
Foto: Google
Dona Onete
Foto: G1.com
DONA ONETE : Há quem diga que ela começou a cantar ainda menina para os botos, em Cachoeira do Arari (ilha do Marajó-PA).  Ionete da Silva Gama foi Secretária de Cultura do Município de Igarapé-Miri e se aposentou como professora de história de estudos amazônicos. Militou na política, se casou e separou. Casou novamente e ficou viúva. Teve filhos, netos e bisnetos. Pra lá dos 60 e tantos anos foi descoberta pela grupo Coletivo Rádio  Cipó no bairro da Pedreira em Belém. A música que até então havia sido trilha sonora da sua vida, passou a ser protagonista. Dona Onete gravou seu primeiro disco em 2012,  aos 72 anos. Hoje aos 77 está no auge da sua carreira, colhendo os frutos de Banzeiro, seu mais novo álbum, repleto de boleros, carimbós e bangüês. Turnê por todo Brasil, shows nos EUA e na Europa, música em novela da Globo.  



Cantora Joelma Mendes em show na Praça do Relógio em Belém
Foto: Google
JOELMA MENDES é uma cantora, compositora, estilista, empresária, coreógrafa e dançarina brasileira que nasceu em Almeirim, município do Pará. A cantora Joelma sempre teve vocação e vontade de dançar, e, aos 19 anos, ela foi convidada em Belém para ser vocalista de uma banda chamada Fazendo Arte. A partir daí, ela fez shows por algumas cidades do Pará e chegou a abrir eventos de grandes artistas da música na capital. Em um almoço na casa do cantor paraense Kim Marques, Joelma conheceu Cledivan, o Chimbinha. O talento da cantora despertou o interesse do músico que quis produzir seu CD solo, nesse período Joelma e Chimbinha começaram a namorar, e decidiram formar uma banda, e então no ano de 1999 nascia a Banda Calypso.

A voz, a dança, os figurinos, e o estilo próprio de Joelma fez da Banda Calypso um dos maiores fenômenos da música brasileira, em 16 anos de carreira foram mais de 15 milhões de cópias vendidas, turnês por toda Europa, África e Estados Unidos, prêmios importantes da música,  indicações ao Grammy Latino e uma legião de fãs conquistada.
Joelma se consolidou como a maior Diva do gênero Brega POP e uma das maiores representantes da cultura Paraense pelo Brasil a fora. 
.

Cantora Fafá de Belém
Foto: Guia da Semana 
A cantora FAFÁ DE BELÉM nasceu no dia 10 de agosto de 1956, em Belém do Pará, Aos 16 anos, sua voz começou a se destacar. Foi convidada para cantar na Bahia. Com a permissão dos pais, tomou o avião. Era o início de sua carreira musical.Fafá de Belém apareceu como uma cantora de seios abundantes, um tanto acima do peso de acordo com os “padrões” da  indústria cultural, cantando com os pés descalços... Foi um sucesso!!! Com a música "Filho da Bahia", inserida na novela "Gabriela" da TV Globo, Fafá de Belém apareceu para o Brasil 1975.

Fafá de Belém
Foto: Catraca Livre
É considerada uma das grandes cantoras da música popular brasileira. Já cantou fados, música sertaneja, sucessos nortistas meteóricos, cantou inclusive para o Papa (quando ele visitou o Brasil em 98), mas a base de sua trajetória musical é a música romântica. É uma cantora que tem como maior trunfo a sua capacidade de interpretação, é uma cantora emocional, intensa, voluptuosa, que sabe se fazer ouvir. Carregando com orgulho o nome da sua cidade natal, tendo sempre sua vinda esperada para cantar de jeito único e especial durante o Círio de Nazaré.



Artista Berna Reale
Foto: Globo.com
BERNA REALE nasceu em Belém e é realizadora de instalações e performances. Estudou arte na Universidade Federal do Pará e participou de diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e na Europa, como a Bienal de Cerveira (Portugal, 2005) e a Bienal de Fotografia de Liege (Bélgica, 2006), além da exposição “Amazônia – Ciclos da Modernidade”, no Centro Cultural Banco do Brasil (Rio de Janeiro, RJ, 2012).

Berna Reale no programa do Jô
Foto: Google 
Recebeu o grande prêmio do Salão Arte Pará, em Belém (PA, 2009), e foi selecionada para o “Rumos Visuais – Itaú Cultural” (2012-2013); participou da exposição “From the margin to the edge”, Somerset House, Londres (RU, 2012), “Boletim”, Galeria Millan, São Paulo (SP, 2013), “Vazio de nós”, Museu de Arte do Rio de Janeiro (RJ, 2013), “Cães sem Plumas”, Galeria Nara Roesler, RIo de Janeiro (RJ, 2013), “Arquivo Vivo”, Paço das Artes, São Paulo (SP, 2013) e da I Bienal de Fotografia MASP- Pirelli, São Paulo (SP, 2013). Suas performances são pensadas com o objetivo de criar um ruído provocador de reflexão.


Joelma Mendes e Gaby Amarantos com a bandeira do estado do Pará


Referências/ Biografias: Google

quinta-feira, 2 de março de 2017

O PARÁ É ASSUNTO NO SITE MOMONDO

Essa semana as belezas do estado do Pará foram assunto no site momondo.com.br. Com o tema, "Um roteiro por 8 lugares imperdíveis para visitar no Pará: Segundo maior estado do Brasil em extensão, o Pará ilustra a diversidade natural e cultural do Norte do país. Conheça nosso roteiro e explore o que o Pará tem de melhor!". 

Então, repassamos a vocês 8 dos inúmeros motivos para visitar o estado. Não perca tempo, venha desvendar os encantos do Pará!